quarta-feira, 24 de maio de 2017

Ativismo e militância: entre repertórios e instituições



Esqueleto  Metodológico


Modelo de Análise


Repertório - Charles Tilly
Instituição - Lourau
Militante
Ativista



Tática
???
???
Dispositivo
???
???
Subjetivação
???
???

Pq estudar isso assim? 

we should search for rough empirical regularities in hope of accomplishing two distinct objectives: first, to specify what theoretically telling similarities and differences must be explained by any causal account of contention; second, to place firmly on the agenda how historically accumulated models, memories, understandings, and social relations—for example, residues of the Mongol empire’s previous hegemony in a given region—affect the operation of contentious politics ( Tilly, 2006, p 15-16)


Artigos Teóricos: Trata-se de trabalhos baseados na literatura empírica vigente para propor avanços teóricos. Espera-se que os autores apresentem o desenvolvimento de uma teoria para expandir ou refinar construtos teóricos, apresentem uma nova teoria ou analisem uma teoria existente, apresentando suas fraquezas ou demonstrem a vantagem de uma teoria sobre outra. Usualmente os autores de contribuições desta natureza analisam a consistência interna de uma teoria, bem como sua validade externa. As seções podem variar como forma de busca de consistência. É fundamental que haja um elemento propositivo no texto. Este tipo de contribuição está limitado a 30 páginas, incluindo resumo, abstract, figuras, tabelas e referências. O resumo e o abstract devem ter, cada um, no máximo 120 palavras.

Prazo - Novembro 2018
Resultados Parciais 

Repertório
Instituição 
Militante
Ativista



Tática
Hegemonia Cultural
*
Dispositivo
Partido
*
Subjetivação
Ressentida
*


Hipóteses

Repertório
Instituição 
Militante
Ativista



Tática
-
???
Dispositivo
-
Rede
Subjetivação
-
Conectada

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Revolução, insurreição, povo, multidão, militar, ativar...

https://machinedeleuze.wordpress.com/2017/04/08/e-inutil-revoltar-se-por-michel-foucault/

sábado, 8 de abril de 2017

Grupos de Pesquisa que merecem atenção




O Nu-Sol é uma associação de pesquisadores libertários voltados para problematizar relações de poder e inventar liberdades. Procuramos por meio de pesquisas, cursos regulares e abertos ao público, como os cursos livres, e experimentações com linguagens levar a debates com a universidade e o público os resultados de nossas pesquisas e incômodos à flor da pele.

http://www.nu-sol.org/index.php


O Núcleo de Estudos de Teoria Social e América Latina (NETSAL) é um grupo de pesquisa, cadastrado no CNPq, com sede no Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

http://netsal.iesp.uerj.br/index.php/pt/ 


Núcleo de Pesquisa em Participação, Movimentos Sociais e Ação Coletiva (NEPAC-UNICAMP) está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), da Universidade Estadual de Campinas. O NEPAC existe desde 2008, mas foi criado oficialmente em 2011, quando passou a integrar o “Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil”, do CNPQ. Coordenado pela Profª Drª Luciana Tatagiba, do Dep. de Ciência Política, o Núcleo congrega alunos e pesquisadores de graduação, mestrado e doutorado atuantes na área de Ciência Política, predominantemente, Antropologia Social e Ciências Sociais. Essa interdisciplinaridade é uma marca do Núcleo e uma condição essencial para o desenvolvimento dos nossos temas de pesquisa. A complexidade dos nossos objetos de estudo requer um intenso esforço de experimentação teórico-metodológico e um intenso diálogo interdisciplinar.

http://www.nepac.ifch.unicamp.br/

Grupo de Pesquisa Associativismo, Contestação e Engajamento tem com objetivo desenvolver uma agenda de pesquisa em torno das seguintes indagações: 1) Como explicar a emergência e a sustentação dos processos de ação coletiva e de associação? 2) A partir de quais problemas e processos as práticas associativas assumem um caráter/sentido contestador? 3) Quais os efeitos ou resultados que as práticas de associação e contestação produzem e como podemos entender esses efeitos em termos de mudanças culturais, políticas, econômicas e sociais? 4) Por que indivíduos se engajam em processos associativos e em ações de contestação e quais as decorrências disso para suas vidas?

https://www.ufrgs.br/gpace/pt/

O LAPS é um laboratório de estímulo à pesquisa no âmbito do Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo, que congrega professores, pós-doutorandos, pós-graduandos e alunos de graduação

http://sociologia.fflch.usp.br/node/506

terça-feira, 21 de março de 2017

Momento atual da tese



Legenda

Subjetivação Militante

Aspectos Macro Histórico

Centralismo democrático
Nova Polítca Econômica - Stakanovismo
Realismo Socialista - Zdanovismo

Aspectos Micro Relacional

Niilismo Reativo  - Ressentimento - Paixão pelo negativo

Dispositivo Militante -

Centralismo - democrático, autocrático
Burocracia,
Meta: produção de  hegemonia


Estratégia Militante - Revolução

ps: ( lembre de marx, democracia burguesa é falaciosa pq liberdade em um regime burguês é  uma grande falácia - o textos do congresso dos escritores soviéticos)

segunda-feira, 6 de março de 2017

Retomando ideias para Tese


Retomando meu estudo específico, tanto para começar a escrita do ensaio dois da tese ( Inconformados do mundo, uní-vos à esquerda), quanto para ir entendendo melhor algumas questões sobre o surgimento da ideia de militância e para preparar a apresentação a ser feita em Natal, precisei fazer um pequeno ajuste no quadro resumo das hipóteses que havia desenvolvido anteriormente.



Repertórios para contestação das normatividades vigentes



Ativista
Militante

Estratégia

Insurreição
Revolução


Tática
Conexão/Rede
Centralização/Partido


Subjetivação
Conectada
Ressentida


Para falar em subjetivação, eu precisaria pensar nas dimensões de táticas e dispositivos, sendo assim, em minha cabeça, o estudo junto ao PPG Sociologia seria condição para investigação na Psicologia. O descompasso temporal entre eles pode ser um problema, contudo, acho que a atenção metodológica e a dedicação em tempo integral aos dois programas, pode resolver a questão.

ps: A introdução, feita pelo Ademar Boco, no livro da série da Teoria da Organização Política é um texto ótimo que reforça algumas ideias que eu vinha tendo e deu uma pista muito importante sobre a importância de entender melho o que se passou na Terceira Internacional Comunista.  Ele também afirma que a Comuna de Paris serviu de grande inspiração para o molde das formas de ação dos comunistas. 

quinta-feira, 2 de março de 2017

Sobre o museu do amanhã e as perguntas que eu queria ajudar a responder com a tese

Da visita ao museu do amanhã, me vi inquieto com algumas questõe



Onde estamos? Para onde vamos? - perguntas clássicas que os mais bem intencionados humanos tentaram responder.

Como queremos ir? eis um debate mais contemporâneo, fruto de observação e questionamento de experiências anteriores, nas quais os fins justificavam completamente todos os meios.

https://museudoamanha.org.br/pt-br/os-amanhas-possiveis-para-se-conviver-em-sociedade

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Redefinição geral



Anterior  -  estratégia para produzir coletivos engajados às movimentos sociais, capazes de sustentar, individual e coletivamente, as condições materiais de produção de mudanças nas normatividades vigentes.

2017 - estratégia de produção de ação coletiva para disputa dos recursos materiais ou simbólicos, baseada em identidades compartilhadas.

Incorporação da definição de Diane de movimento Social

DIANI, Mario. DIANI, Mario. Simmel to Rokkan and beyond: towards a network theory of (new)
social movements.
European Journal of Social Theory, 3, p.387-406, 2000

Ponderações de Flávio


estratégia para produzir coletivos engajados às movimentos sociais, baseados em identidades compartilhadas, capazes de sustentar, individual e coletivamente, as condições materiais de manutenção ou de mudanças das normatividades vigentes.


Ou ainda: estratégia para produzir coletivos engajados às movimentos sociais, baseados em identidades compartilhadas, capazes de sustentar, individual e coletivamente, as condições materiais de criação, manutenção ou de mudanças de normatividades sociais


Pensando em Tily

repertório de ação coletiva mobilizado para contestação, ou consolidação, de uma determinada normatividade.